Bem-vinda Ana!

A Ana acabou de chegar à Contisystems e é Account Manager na divisão de Gestão de Comunicação de Clientes, por isso fomos conhecer um pouco da sua história.

Olá Ana, antes de mais, muito bem-vinda à Contisystems e obrigada por teres aceite este desafio de ser entrevistada logo nos teus primeiros dias.

A primeira pergunta é sempre a mesma, e o teu sotaque aqui até nos dá uma ajuda … de onde vens?

Eu sou do Porto, nasci na Sé, no coração da cidade, mas logo cedo, com 14 anos vim com a minha família para Lisboa atrás de uma oportunidade de emprego do meu padrasto. Na altura nem pensei nas saudades que ia sentir das minhas amigas de tão entusiasmada que estava de vir para Lisboa, a GRANDE cidade pensava eu.

E como foi a chegada à GRANDE cidade?

Quando vim para Lisboa, fui para o colégio Portugal, na Parede e fui morar para São Domingos de Rana, bem pertinho daqui e depois fiz o secundário no Liceu de Oeiras, na área de artes visuais.

Artes visuais? Mas isso não tem muito a ver com a área comercial?  Há aí uma veia artística escondida?

Sim! Na verdade quando acabei o secundário fui para a ESAD, nas Caldas da Rainha tirar o curso de Artes Plásticas por 3 anos. Aprendi escultura, pintura, fotografia, video, adorei! Quando regressei a Lisboa fui ainda para a Restart tirar o curso de animação de 2D/3D motion graphics. Mas como o curso era só da parte da tarde e tinha as manhãs livres, achei que me fazia bem começar a trabalhar.

E arranjaste um trabalho na área das Artes Gráficas?

Não… na verdade foi nesta fase que tive o primeiro contacto com a área comercial, na TIBA – Transitários, onde trabalhava a minha mãe, mas nunca chegámos a trabalhar diretamente uma com a outra. Comecei por trabalhar em part time até que fui convidada para ficar a full time, o “bichinho” da área comercial ficou, comecei desde logo a adorar o que fazia. Acabei por deixar em stand by os meus planos de fazer o mestrado “em desenhos animados” em Inglaterra.

Então como ficaram as artes?

Hoje em dia não consigo dizer se gosto mais da área comercial ou da pintura… São as duas muito importantes para mim.

E vender os teus quadros, não conjugaria os dois mundos?

Já tentei mas não consigo. Vendi um e custou-me tanto  quando me separei dele que nunca mais o consegui fazer. (risos) Gosto muito de pintar e continuo a fazê-lo mas só para oferecer a quem está mais perto de mim. Prefiro vender outras coisas que não os meus quadros, não penso em fazer da pintura carreira, é só um hobby que me dá muito prazer.

Então e depois vieste logo da TIBA para a Contisystems?

Não, desempenhei a função de comercial em várias empresas na área da Logística. Fui sendo reconhecida pelo meu know how no sector e pela capacidade de desenvolver a minha carteira de clientes. Depois ainda trabalhei, como comercial também, numa empresa fora da área dos transportes. Queria descobrir se a minha paixão eram as vendas ou se este sector em específico. Estive na Mobipium na área de Marketing Digital/subscrição móvel e confirmou-se, a minha paixão é mesmo a área comercial.

O que te apaixona assim tanto na área comercial?

Adoro o contacto com o cliente. Visitá-lo, ouvi-lo e estar disponível para o ajudar, é mesmo disso que eu gosto. A vertente humana é muito importante.

E como encontraste a Contisystems?

Foi a partir de um anúncio no Linkedin, concorri e aqui estou eu.

E como vês o desafio que agora tens de vender produtos físicos e serviços digitais?

Por mais evolução que haja no sentido do desenvolvimento de produtos digitais, o contacto humano nunca vai desaparecer. As pessoas precisam de ser ouvidas, acolhidas e sentir que outras pessoas estão disponíveis para ajudar. Agrada-me muito o desafio de vender soluções multi-canal de comunicação com clientes, só pode correr bem!

E até agora, que tal?

Estou a gostar muito, ainda é a lua de mel, mas o bom ambiente parece-me evidente. Senti-me muito acolhida por todos desde o primeiro dia. Tive um plano de integração muito completo (que ainda nem acabou…). Depois de uma recepção calorosa nos recursos humanos onde conheci a empresa de uma forma geral, passei por um processo de formação intenso relativo a segurança no trabalho. Percebi também a importância da segurança da informação e as preocupações a ter neste tema, com a ajuda da nossa DPO. Visitei a área de produção, o que foi ótimo para perceber de forma próxima como executamos este serviço e que produtos entregamos em concreto em cada uma das áreas. Tive ainda com as áreas de desenvolvimento e de software engineering com quem aprendi sobre os produtos digitais da Contisystems. Visitei muitas áreas e muita gente, mas mais que tudo, fui muito bem recebida pelos colegas da área comercial que me têm dado muito apoio no meu arranque. No início até comentei com a minha mãe que vinha com expectativa zero e que queria mesmo era estar focada no meu trabalho e fazer-me crescer a mim e à empresa, mas na verdade já me sinto muito bem aqui.

Estou a ver que a tua mãe é um ponto de referência muito forte…

Sim, a minha mãe é a minha fonte de inspiração, tem uma energia enorme.

Ok… estou a ver onde foste buscar a tua energia! Muito boa sorte Ana, estamos cá todos para te apoiar no que precisares!